segunda-feira, 3 de outubro de 2016

AFROTRANSCENDENCE:programa de imersão em processos criativos com foco na cultura afro-brasileira


O QUE É

AfroTranscendence é um programa gratuito de imersão em processos criativos para promover a cultura criativa afro-brasileira contemporânea. Chegando na sua segunda edição, vai acontecer de 26 a 29 de outubro de 2016 no Red Bull Station, centro de São Paulo reunindo como mentores diversos especialistas, artistas e pesquisadores que se juntarão a 20 selecionados de uma chamada aberta. O objetivo é estimular a troca de conhecimento entre pessoas vindas das mais diferentes práticas artísticas e formas de expressão incentivando-as a criar novas conexões, possibilidades e olhares em seus processos de criação tendo como inspiração a união entre saberes tradicionais e contemporâneos das culturas negras espalhadas pelo mundo.

COMO PARTICIPAR

É possível participar do AfroTranscendence de duas maneiras:

  1. inscrevendo-se no processo de seleção que vai contemplar até 20 pessoas de todo o Brasil que irão participar durante os 4 dias de todas as atividades do programa;
  2. ou participando das atividades abertas como as palestras e apresentações.












A IMERSÃO

A imersão irá proporcionar para os 20 selecionados durante os 4 dias um programa intensivo e gratuito de atividades compostas por palestras, workshops, performances, mostras e apresentações.

Sendo um espaço-tempo de aprendizado coletivo interdisciplinar, conta com três painéis temáticos: Descender para Transcender: descolonizando o conhecimento; A memória da criação: panorama para práticas de reinvenção no contemporâneo e Estética Negra: pesquisa e processos sincréticos. 
Nossa crença em que é o conhecimento ancestral aquele capaz de atualizar o nosso presente entendendo o ato de criação como dispositivo de ressignificação, expressão e resistência em que a arte se manifesta como uma constante prática de vida.

AFROTRANS
Cruzando esses painéis que servem como arquivo, base de pesquisa e referência, vai acontecer este ano o laboratório de criação AfroTrans que propõe exercitar coletivamente, a criação de uma experiência expandida entre todas as linguagens artísticas tendo como suporte a memória, a palavra, o corpo, o som, a imagem e a tecnologia.
Nos quatro dias desse laboratório participarão com as seguintes abordagens, os mentores:
Diane Lima – Pesquisa, métodos e processos artísticos contemporâneos;
Benjamin Abras – Memória, corporeidades e ressonâncias; 
Mahal Pita – Experimentações sonoros e transfigurações digitais;
Vj Vigas – Performances audiovisuais, tecnologias e linguagens expandidas
Um convite a uma investigação narrativa inspirada na própria forma como se manifesta a cosmovisão-estética negra: sincrética, assimétrica, dialógica e transcendental.