Pular para o conteúdo principal

DI Jeje na Alemanha: mulheres unidas movem o mundo!

A felicidade só é completa quando pode ser dividida.
Nós do Di Jeje, temos tido muitas felicidades para dividir.


Em Novembro vamos lançar a primeira plataforma de e-learning para mulheres do MUNDO, essa plataforma chama NKANDA.
Já estamos em fase de implantação, e têm sido um sucesso!
E, agora temos mais uma coisa maravilhosa para dizer: fomos convidadas para um encontro de mulheres negras na Alemanha, nos dias 05 e 06 de Outubro, em Frankfurt.

E, claro que para podermos ir, vamos contar com vocês!
Para isso, estamos lançando hoje uma campanha de doação: você apoia nossa ida, doando 33 reais.
Nós precisamos de 500 doações até dia 30 de Setembro.
O valor arrecado vai custear a ida duas mulheres negras: 7600 reais das passagens pela Latam já com taxas inclusas; 400 reais do seguro saúde obrigatório; 4000 mil reais de alimentação para 8 dias de estádia. 
A acomodação nós conseguimos como doação das mulheres negras que vão nos receber.
É muito importante que a gente se mobilize, essa atividade é uma atividade promovida pela ONU em parceria com organizções negras locais, em comemoração a Década de Afrodescendentes da ONU, e apesar de termos que superar essas barreiras financeiras, é muito importante nossa participação, seja para denunciar  a condição de vida das mulheres negras no Brasil, seja para denunciar o avanço do fascismo em nosso país e o impacto disso na vida de todas as mulheres brasileiras, sejam elas negras ou brancas.

Para doar?

Acesso nossa loja, e faça a doação dos 33 reais! E você pode escolher um dos nossos 33 cursos on lines, como retribuição!

Vamos juntas, mulheres unidas movem o mundo!
Todas juntas somos fortes!


#mulheresnidascontraocoiso
#elenão
#feminismonegroemluta

Postagens mais visitadas deste blog

PRECISAMOS FALAR SOBRE COLORISMO

Afinal, o que é COLORISMO ? Qual  a origem desse termo? Há muitas discussões sobre essa temática no Brasil. Expressões como afrobege , afroconveniente , pardo , mestiço , são associadas a temática do colorismo. Existem diversas explicações: a eugênia imposta no Brasil no final do século XIX e começo do século XX, a mestiçagem forçada entre negros e europeus através do estupro de mulheres negras escravizadas .  O processo da mestiçagem racial , também está ligada ao apagamento cultural e histórico da herança africana , presente no processo de construção da identidade brasileira . Pensando sobre a necessidade da realização desse debate, que o Coletivo Di Jeje , te convida para a web aula Colorismo, com Jaque Conceição . A aula vai acontecer on line via streaming , no dia 10 de Julho as 19hs , GRATUITAMENTE . Para participar, acesse o link e se inscreva. As inscrições vão até dia 08 de Julho , e as vagas são LIMITADAS . Haverá emissão de certificados . A

Mulheres Negras: pelo corpo, entre o corpo, no corpo

Jaqueline Conceição da Silv a Fundadora e Coordenadora do Coletivo Di Jeje Doutoranda em Antropologia Social/UFSC Penso sempre, que nenhuma ideia chega sozinha: as idéias são frutos das experiências que compartilhamos ao longo de nossas jornadas. E assim, o percurso da jornada como doutoranda da antropologia, tem me feito deslocar a compreensão do feminismo negro apenas como disputa política na pólis, para a formulação de uma existência do corpo negro produzindo a pólis. Não se trata de pensar disputa, mas sim produção da vida e da história. Corpo, tem parecido ser, um ponto central para as mulheres negras, produzirem teoricamente  sobre sua existência. Ele aparece com frequência em textos teóricos, ensaios e pesquisas. Nas mais diferentes formas e contextos. E é o corpo, meu corpo negro, o corpo negro que vamos pensar nesse texto. Corpo, não como unidade física da existência de uma subjetividade subalternizada e domesticada, mas como o espaço de const

KUKALA - plataforma de cursos e conteúdos para professores, pesquisadores e interessados sobre a história e a cultura africana e afro brasileira

KUKALA é uma palavra Bantu que se refere a infância e a formação das crianças através do ensinamento dos mais velhos, mas tendo a leveza e a felicidade infantil como mediadora do aprender e do ensinar. Na cultura ocidental, seria algo como os pilares da Educação da UNESCO: aprender a aprender, aprender a conhecer, aprender a fazer e aprender a ser. Para assinar clique AQUI . Como é: uma plataforma de cursos on line com 8 cursos com certificação de 90 horas cada, válidos para progressão funcional de professores da educação básica, elaborados pelo grupo de pesquisadoras do Coletivo Di Jeje. Os cursos são elaborados a partir da curadoria de conteúdo dentro dos 8 temas que são abordados. Quanto é: o usuário faz um pagamento único no valor de 75 reais e pode acessar o conteúdo durante 06 meses, além dos cursos há materiais de apoio como sugestões de aulas e atividades para serem desenvolvidas da educação infantil até o ensino médio, e também web aulas com especialistas convida